Featured

O que você deve procurar em uma escola de artes marciais

 Por : Nelson Ferreira

 Há muitos artigos e blogs escritos sobre este assunto por uma variedade de pessoas. A maioria tem informações válidas, mas infelizmente muitos esquecem uma parte fundamental deste processo, você.

"Aquele que conhece os outros é sábio; Aquele que se conhece é iluminado. Aquele que conquista outros tem força física; Aquele que conquista a si mesmo é forte."
                                                                             Analetos de Confúcio (12.21 - 孔子)



A primeira coisa a considerar nesta busca é o seu objetivo. O que você quer do estudo? Quais são seus objetivos? Em outras palavras, onde é que você deseja estar depois de um, dois, ou dez anos depois de iniciar os seus estudos? O seu objetivo é apenas treinar individualmente ou lutar em campeonatos? Você quer melhorar sua saúde, flexibilidade e coordenação motora ou apenas aprender a se defender? Você deseja ter um entendimento básico do que você estuda ou quer se tornar mestre na arte? Tenha em mente que as respostas a estas perguntas não são mutuamente exclusivas, tudo depende de como, por quanto tempo e onde você treina e aprende a arte.

Depois de ter decidido sobre o seu objetivo, o próximo passo é o seu compromisso. Qual é o nível de compromisso que você está disposto a fazer, e manter, a fim de alcançar seus objetivos? Isso é fundamental para que você seja bem sucedido em seu estudo (e na própria vida). Se o seu compromisso é baixo, você não pode esperar altos retornos, independentemente de quanto tempo você estuda. Se o seu compromisso é alto, você será capaz de ver os resultados rapidamente e depois de um tempo você verá grandes retornos em seus esforços.

O terceiro e último (de hoje), são as suas expectativas. Este é um assunto delicado porque suas expectativas podem ser baseadas em fantasias e mitos que você achava, inadvertidamente, que eram fatos. Isso fica ainda mais complicado quando uma academia e/ou professor entende isso e toma vantagem da situação, a fim de cativar alunos. Um exemplo disso seria, se você quer aprender a lutar mas a escola não oferece esse tipo de aulas, em vez deles dizerem que esse não é o ojetivo do que ensinam, eles dizem que se você aprender as aplicações dos movimentos é o mesmo que aprender a lutar, não é.

Suas expectativas devem ser realistas e de acordo com as da escola onde você decide estudar. Você não pode pensar que vai ser hábil em algo que a escola não ensina. O que você deve esperar de uma escola de artes marciais, de qualidade, independentemente de ser estilo X, Y ou Z que você estuda, é basicamente; ser respeitado, receber instrução adequada e obter respostas adequadas às suas perguntas razoáveis. Além disso será o assunto que vamos abordar na segunda parte desta postagem.


Certifique-se suas expectativas são razoáveis e atingíveis assim como seus objetivos e compromisso.

Agora que sabemos o que são os nossos objetivos, nível de compromisso e as expectativas do nosso estudo (parte 1); a próxima parte será sobre o professor/instrutor.
 
"O mal dos homens é que eles gostam de ser professores de outros."
 
Mencius (孟子) Livro 4, Parte 1, Capítulo 23
 
Esta citação pode soar estranha vinda de um professor, mas infelizmente é verdade. Mencius, nesse trecho, nos adverte contra pessoas que querem desfrutar do privilégio de serem chamadas de professor/mestre, mas não querem lidar com suas responsabilidades.
 
 
Nas artes marciais chinesas tradicionais o termo Shitu (師徒) refere-se à relação entre o mestre (師 - "Shi" de "Shifu" - 師父) e o discípulo (徒 - "Tu" de "Tudi "- 徒弟). Esta é uma relação baseada em respeito mútuo e cada um tem responsabilidades definidas. O Shitu se desenvolve ao longo do tempo com ambos (o mestre e o discípulo) conhecendo e compreendendo um ao outro em vários níveis, como entendendo seus sensos mutuos de cortesia (禮 - Lǐ), justiça (義 - ), honestidade (廉 - Lián) e ética (恥 - Chǐ) que são partes importantes desse processo. Como você pode imaginar, em estudos marciais tradicionais, é muito importante que você encontre um mestre com o qual você possa ter um Shitu positivo.
 
Então o que nós precisamos procurar na busca de um mestre que combina com as nossas necessidades?
 
Uma das primeiras coisas que queremos descobrir são as qualificações do professor. As qualificações do Shifu são válidas ou são apenas “amplificadores de ego”? Qualificações válidas são certificados, diplomas, ou ranking dentro de um certo estilo/sistema. Estas qualificações são certificadas por seus mestres após vários anos de treino dedicado. Outros indicadores podem ser fotos formais do dito professor e seus colegas de treino, assim como premiações (medalhas, troféus, etc...) em sua área de ensino e/ou treino (se eles ensinam artes marciais chinesas devem ter premiações em artes marciais chinesas). Porém, tenha cuidado, algumas premiações e certificados parecem ser impressionantes, mas elas não são nada mais do que “publicidade paga”. Um exemplo disso seria, grupos ou indivíduos, que por um preço específico, “honram” pessoas com algum tipo de título ou reconhecimento “oficial” sem nunca conhecer o trabalho ou a “honrada” pessoa. Infelizmente esse é um problema que assola o mundo das artes marciais. Um Shifu qualificado deve ter estudado, por um tempo considerável, o estilo/sistema que ensina e não apenas ter tido um breve contato com a arte ou com um mestre durante um curso no fim de semana.
 
A próxima coisa seria descobrir qual o compromisso do Shifu. Quão comprometido ao estilo/sistema, escola e aos alunos é esse professor? Ao procurar uma academia para estudo, se o nosso compromisso é profundo (estudo de longo prazo) e nossos objetivos são elevados (tornar-se um professor/mestre), vamos inevitavelmente querer procurar um Shifu que está totalmente comprometido com o que estão ensinando. Este tipo de Shifu normalmente dirige uma escola de tempo integral, com um currículo claro e descritivo. Ele/a e também mantém fortes laços com ou grupos nacionais, internacionais ou organizações que são relacionadas ao que ensinam. Este é também o tipo de professor que tem alunos contínuos (de longo prazo) com vários anos de estudo, e estabeleceu uma boa reputação na sua comunidade. Estes professores tendem a lidar em uma área específica de estudo (e tem um profundo conhecimento do mesmo) que mostra que eles estão fortemente comprometidos com o que aprenderam e, portanto, querem ensiná-lo completamente. Se o nosso compromisso é baixo e estamos procurando treinos só para se divertir ou socializar, certamente podemos encontrar o que queremos em instrutores que oferecem cursos de tempo limitado (6, 8 ou 12 semanas) ou a aula ocasional em uma academia de ginástica/fitness. No entanto, você não deve esperar ter um conhecimento profundo da arte nessas aulas, apenas uma compreensão básica de seus princípios.
 
Por último, mas não menos importante, nesta lista seria o estilo de ensino - Isso dependerá inteiramente de nossas preferências como estudantes. Alguns de nós gostamos de um estilo firme e rigoroso de ensino, onde os alunos são disciplinados pelos instrutores. Outros gostam de um ambiente mais descontraído e relaxado, onde a disciplina é desenvolvida pelo interesse no estudo. Ambos os estilos são bons desde que estamos cientes de certas coisas, “firme e rigoroso" não significa "abusivo" e "descontraído e relaxado" não significa "bagunça". Nesta área não há realmente nenhum "certo" ou "errado" há apenas o que é certo para você. Se o seu estilo de aprendizagem não coincidir com o estilo de ensino do professor, não há razão para forçar o relacionamento, no fim isso acaba sendo um desperdicio de tempo para os dois.
 
Seja lá qual for o Shifu que escolhemos para estudar, temos que ser capazes de desenvolver (e manter) um relacionamento saudável com ele/a. O Shifu deve ser qualificado no estilo, deve ter um nível de compromisso próximo ao nosso e deve prover o tipo de ensino que estamos procurando em nosso estudo. Sempre lembrando que o que é bom para nós pode não ser bom para outros e vice-versa.
 A próxima parte desta série (Parte 3) irá lidar com algo que o Shifu cria para seus alunos, o ambiente de aprendizagem.
 
Na primeira parte, desta série, nós focamos em você, na segunda foi sobre o professor e agora, na terceira, vamos considerar o ambiente de aprendizagem.
 
"A mãe de Mencius, mudou-se três vezes"
 
Provérbio popular chinês
 
Este provérbio refere-se à lenda sobre a mãe de Mencius (孟子 - filósofo confucionista chinês.372 aC-289 aC) que mudou a família três vezes antes de encontrar um local adequado para a sua educação de seu filho. A lenda diz que quando Mencius ainda era uma criança, depois da morte de seu pai, a família vivia perto de um cemitério, Mencius brincava todos os dias imitando os rituais e práticas dos enlutados. Isto preocupou sua mãe que fez ela decidir mudar para uma cidade maior e mais movimentada. Haviam vendedores ambulantes e comerciantes nas ruas e, novamente, Mencius imitava as ações dos vendedores quando brincava, isto também procupou sua mãe (comerciantes eram considerados a classe mais baixa e eram desprezados na antiguidade chinesa). Se mudaram novamente, esta última vez foi ao lado de uma escola, onde Mencius teve um interesse na aprendizagem e começou seus estudos que duraram o resto de sua vida. Como uma expressão, ela se refere a importância de encontrar o ambiente adequado para criar e educar alguém. O ambiente físico não é unico aspecto a ser considerado aqui, também devemos pensar em termos psicológicos e emocionais.
 
Primeiro sobre o ambiente físico - Onde é que o professor conduz suas aulas? Algumas coisas a considerar:


  • Quintal, garagem ou a casa do professor - podem proporcionar um ambiente intimo e descontraído para as aulas, mas às vezes o espaço pode ser limitado e a altura do teto pode ser um problema, especialmente se existe o ensino de armas longas no estilo ou sistema. 
  • Parques locais - Têm espaço amplo e ar fresco, mas estão abertos ao público e com isso a classe pode ser interrompida com freqüência, bem como sujeito às condições meteorológicas. 
  • Ginásios ou academias de ginástica/fitness - Podem ter espaço amplo e conveniente, mas geralmente tem uma atmosfera que não só pode ser interrompida pela música de outras aulas (aeróbica, spin, dança, etc...) como também por pessoas se preparando para a próxima aula, que aconteceria nesse mesmo espaço. 
  • Academia dedicadas a arte - Independente do tamanho da academia ela terá um espaço amplo e uma configuração propícia para o estudo da arte, além de equipamentos específicos e todos os membros tem um interesse similar ao nosso. Essas academias tendem a ter um custo mais alto.
 
Cada um tem suas vantagens e desvantagens e refletem o compromisso do professor com o que ensinam. Novamente, a melhor escolha vai ser feita com base em nossos objetivos e nível de comprometimento, e cada escolha deve também, obviamente, se encaixar com as nossas expectativas. Locais com despesas baixas, como quintais, parques ou aluguel por hora, tem preços mais baixos devido ao baixo custo operacional. Academias dedicadas terão custos mais elevados, devido à manutenção e despesas diárias. Voltando ao assunto do compromisso do professor, é mais fácil para um professor abandonar o ensino e seus estudantes,por qualquer razão (mudar de cidade, mudança de vida, ficar entediado, etc ...) se ele têm pouco a perder. É muito mais difícil abandonar a academia e seus alunos quando ele está totalmente investido no ensino. Essa é a diferença entre ensinar por carreira, e ensinar como um hobby. Tenha em mente que quando não há investimento, não há compromisso. 
 
Em seguida será a comunidade - Que tipo de comunidade é desenvolvida pelo Shifu e seus alunos? 

Este é um fator importante a considerar, especialmente se estamos nos envolvendo em um compromisso de estudo de longo prazo. Se a comunidade é saudável e solidária ficaremos muito mais tempo desfrutando de nossos estudos, do que se estivermos em um tipo de grupo que é "cada um por si". Alguns grupos são muito ativos socialmente fazendo encontros, reuniões e jantares comemorativos, isso sem mencionar envolvimento com a comunidade local promovendo trabalho comunitário e voluntário. Outros podem ser grupos pequenos e focados, que não interagem muito com pessoas que estão fora de seu grupo de treino ou tenha interesse em se estender para a comunidade local. Isto, mais uma vez, vai depender de nossas preferências pelo que estamos procurando. Se estamos felizes com a companhia de nossos colegas e Shifu, somos muito mais propensos a ficar mais tempo treinando, aprendendo e assim alcançando os nossos objetivos e metas. Lembre-se também que um não é melhor que o outro; cada um está apenas criando e servindo comunidades diferentes.
 
A última consideração agora seria cultura de ensino - Que tipo de cultura a escola promove? 

A cultura de ensino criada pelo Shifu é importante, pois se ela não combina com os seus objetivos e preferências você vai ficar frustrado e desapontado além de desperdiçar o seu tempo nesta busca. Identifique que tipo de cultura você prefere ou gostaria de experimentar, existem vários tipos dependendo do professor e das diretrizes da escola.

  • Escolas Competitivas - Se concentram quase exclusivamente na obtenção de títulos e troféus em campeonatos de luta ou competições de taolu (formas) e têm pouco ou nenhum interesse em cultivar outros aspectos do estudo e/ou alunos não competitivos. Geralmente essas academias são das artes marciais chinesas modernas ensinando a forma competitiva de Wushu (武术) ou o método de luta chamado Sanda (散打), às vezes chamado de "Boxe Chinês".
  • Escolas Culturais - Essas academias muitas vezes, além de ensinar as formas do estilo, também ensinam a língua, aspectos históricos, culturais e folclóricos (até mesmo religiosos). Essas academias tendem a focar em alunos não competitivos e que tenham um interesse de ter uma "experiência completa" da arte. Porém, tome cuidado, algumas academias acabam inundando o aluno com informações diversas (que pouco tem a ver com a arte) para compensar por sua falta de conhecimento na arte ensinada. Essas academias podem ensinar AMCs modernas ou tradicionais.
  • Escolas Multifacetadas - Normalmente são academias das artes marciais chinesas tradicionais e se concentram em formar alunos bem arredondados em vários  aspectos da arte e sua cultura (formas, luta, torneios, armas, dança do leão, história, desenvolvimento pessoal, etc ...), tenha em mente que neste tipo de academia leva-se muitos anos para desenvolver um aluno ao seu potencial completo, por isso, se é isso que você procura, certifique-se de que você está disposto a este compromisso (estudo a longo prazo).
 
Estude em um lugar que proporcione um ambiente físico agradavel, com uma comunidade na qual você se sinta confortavel e com um Shifu que promova uma cultura de ensino que combine com suas preferências. O Shifu e a academia devem criar uma atmosfera positiva para os alunos onde a qualidade do ensino e oportunidades para os alunos sejam de suma importância.
 
A parte final desta série (Parte 4 - conclusão) vamos falar sobre coisas que importam e que não importam em sua busca.

O foco aqui será no que importa e não importa em sua busca. Desculpem o tamanho desta parte mas, devido ao tema, não havia nenhuma maneira de contornar esta situação.

 
"Não seja impaciente, e não procure por ganhos triviais. Se você é impaciente, você não será minucioso. Se você procurar os ganhos triviais, você nunca realizará algo grandioso."
 
Analetos 13:17 - Confúcio (孔子)
 
Esta passagem é a resposta de Confúcio para a pergunta de Zi Xia (子夏), governador de Jufu (莒 父), sobre como governar corretamente. Também podemos vê-la como um bom conselho em mantermos fixos nos objetivos que realmente importam e para não nos distrairmos com coisas inconsequentes, que acabam nos levando a lugar nenhum em nosso estudo.
 
Primeiro, vamos pensar nas coisas que simplesmente não deveriam ser importantes na nossa escolha de uma escola. Como mencionei nos blogs anteriores, há uma variedade de escolas e professores no mercado, cada uma servindo suas comunidades específicas. Algumas são pequenas outras grandes, algumas privadas outras públicas, mas todas são um pouco diferentes. Na nossa busca, devemos pensar além de nossas primeiras impressões - como diz o ditado "não julgue um livro pela capa".
 
Coisas que pessoas pensam ser importantes, mas que têm pouco valor:
 
Idade - Achando que um professor de idade avançada será melhor no ensino, baseando-se na idéia de que "mais velho é mais sábio", infelizmente não é verdade, um professor pode ser mais velho porém insensato. Também temos o professor jovem; cheio de vigor e energia que é capaz de executar todas as técnicas do estilo, mas são incapazes de transmitir essas habilidades aos seus alunos. Devemos tomar cuidado com alguém que se intitula "Mestre" ou "Grão-Mestre" que tem uns vinte poucos anos de idade, como também um professor, de idade avançada, que superficialmente se encaixa no arquétipo de um Mestre mas é um tolo. Habilidade de ensino é o que importa em um Shifu.
 
Sexo - Algumas pessoas pensam que as artes marciais devem ser ensinadas por homens, porque elas sentem que é "coisa de macho", outros podem pensar que só uma mulher pode ensinar aulas de defesa pessoal especificamente para mulheres. Isto não é sempre verdade. Competência no ensino das artes não tem nada a ver com o gênero. Há mulheres extremamente qualificadas nessas artes tradicionais “de macho”, bem como existem homens que são excelentes professores, com conhecimentos incríveis, sobre o tema de defesa pessoal para mulheres  Seja cauteloso, também há incompetência em ambos os lados.
 
Tamanho/Figura - Assim como sexo, isso tem pouco a ver com o ensino. Professores vêm em todos os tamanhos, altos, baixos, grandes, pequenos, etc.... Algumas pessoas são "abençoadas" com uma genética que vai tê-los sempre parecendo que eles estão em excelente condição física, não importa o quanto eles abusam seus corpos com drogas, álcool ou o uso de tabaco. Outros, não importa quão duro eles trabalham eles nunca vão chegar a ter um corpo "sarado". Isso sem mencionar os professores que tiveram uma vida dura, seja lá o que for. As primeiras impressões não levam em conta as batalhas que pessoas travam em suas vidas.
 
Origem - Esta, novamente, como as outras não tem nada a ver com a qualidade de ensino que você terá. Esse viés particular é francamente racista, em ambos os lados. Eu conheci professores maravilhosos e perspicazes em várias artes marciais que não eram da mesma etnia do povo que criou a arte ensinada. Também conheci vários "professores" que tiram vantagem de seus alunos com base unicamente em sua etnia, seja ele chinês, japonês, coreano, etc.... Estes estudantes não se deram conta de que a compreensão do que o professor ensinava era baseado em seu hobby e inspirada em contos de Wuxia (武俠).
 
Sistema de Crença - A arte marcial não precisa ser ensinada junto com um sistema de crença (religião), em outras palavras, você não precisa se converter a uma religião para estudar artes marciais. Isso não quer dizer que você não vai ganhar insights sobre a arte que aprende entendendo um pouco sobre os sistemas de crenças que rodeiam tal arte. Se você quer aprender uma arte marcial que é ensinada em conjunto com um sistema de crenças (por exemplo, Tiro com Arco Zen), certifique-se que você está indo com interesse principal no sistema de crenças e, secundariamente, para a arte marcial, e se esse for o caso, certifique-se de que o professor aprendeu/foi guiado neste sistema de crenças por um professor/guia qualificado e que não é apenas uma "crença hobby" do professor. Se estamos a prucura de instrução em um sistema de crença, devemos encontrar um guia qualificado.
 
Agora, aqui estão as coisas que importam um pouco:
 
Prêmios/Título - Não existe um padrão geral de premiações nas artes marciais, alguns prêmios, assim como títulos, realmente são baseados em conquistas, dedicação e mérito, outros são motivados por ego, política ou simplesmente comprados. Uma escola pode ter uma alta classificação em um campeonato, grupo ou federação, mas pode não ter o mesmo valor (ou nenhum) para outros (alguns professores nem se importam com esses sistemas de classificação). O que devemos procurar são premiações e certificados (válidos) que estão relacionados com o que é ensinado; por exemplo, se ensinam AMCs devem ter prêmios de organizações de AMCs. Um professor pode ter 30 títulos e ser considerado um mestre "Grão" ou "Supremo" em alguma organização com um nome impressionante, mas é incapaz de ensinar ou até mesmo melhorar a habilidade de seus alunos através do ensino. Um outro professor pode ter um título simples mas ser capaz de ensinar o aluno transformando-o em um artista marcial hábil e um grande ser humano.

Habilidade - Habilidade no desempenho da arte, como linhagem, não é garantia de um ensino de alto nível. Há pessoas que têm habilidades supremas na execução de suas artes, tanto em luta quanto em Taolu (formas), que são completamente incapazes de ensinar as técnicas mais básicas. Por outro lado, há pessoas que tem habiliadades "comuns" no desempenho, mas são professores supremos em suas artes. É claro que é ótimo quando podemos encontrar uma combinação de ambos; no entanto, como estamos à procura de um professor para nos ensinar habilidades, e não um ídolo, devemos concentrar unicamente em suas habilidades de ensino. Outra coisa a considerar é se o professor teve algum problema de saúde que impede ou dificulta-los de executar as técnicas. Meu próprio Mestre, como um exemplo, sofreu um derrame e depois disso foi incapaz de executar técnicas do jeito que ele costumava fazer, mas ele ainda era capaz de ensinar e transmitir o seu conhecimento adquirido para seus alunos.
 
Linhagem - Isso pode ser importante, até certo ponto, nós apenas precisamos de, mais uma vez, manter o foco nos objectivos e não deixá-lo tornar-se um foco principal de nossa escolha. Linhagem importa a ponto de saber de onde o estilo/sistema veio e quem ensinou o Shifu. Linhagens reais (existem as inventadas) devem ser respeitadas; no entanto, elas não garantem que você vai receber um ensino de qualidade. Eu conheço pessoas de linhagens excelentes que são professores horríveis, e vice-versa. Não importa se é uma linhagem famosa ou não, o que deve importar é que você aproveite o que você estuda, que o professor é franco com o seu ensinamento (e de onde vem) e que você alcançe seus objetivos.
 
Alunos Avançados - Este item pode ser mais importante do que os anteriores. Observando alunos avançados, como eles praticam, se movem e interagem lhe dará uma idéia do que lhe aguarda depois de anos de treino na escola. No entanto, devemos estar conscientes de duas coisas - A primeira é que você pode observar uma aula onde você só vê um desses alunos e talvez não foi um de seus melhores dias de treino. A segunda seria que você pode ver, talvez, o único aluno com alta habilidade na escola, e essa habilidade pode ser natural para eles (inteligência física), é claro que isso não seria um bom indicador do que você pode potencialmente aprender neste lugar em particular. Não impressione-se excessivamente com os alunos de alto nível.
 
Levando tudo isso em conta, o que é realmente importante?
 
A única habilidade que importa, em um professor, é a habilidade de ensino. O único local de estudo que importa, é o lugar onde você está confortável. E a única pessoa que importa, em tomar a decisão de onde estudar, é você.

Shifu que finalmente escolheremos deve ter as habilidades de comunicar, motivar e inspirar, essas três coisas realmente importam em um mestre.
 
Nós somos a base de nossos estudos. A arte marcial, independentemente do estilo ou sistema, não vai nos fazer adquirir excelência; são os nossos esforços ao longo do tempo de estudo (功夫 - Gōngfū/Kung Fu), e corretamente guiados, que nos fará grandiosos. O professor pode nos guiar a grandeza, mas somente se estamos dispostos a trabalhar duro e nos dedicar ao estudo que alcançaremos o objetivo.

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Tutoriais

Login

Register

*
*
*
*
*
*

Fields marked with an asterisk (*) are required.

Históricos

Registro
  •  Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis


     

     O Grande Mestre 4 (Ip
    Man 4) chega ao seu capitulo final em 2019.

     

     

     

     

     

     

     

     

     


  • O Brasil sediará o 2° Seminário Sul-Americano de Qigong-Saúde entre os dias 24 e 29 de Maio

     

    Brasília sediará o XXVII Campeonato Brasileiro de Kung Fu de 7 a 11 de setembro.....

     

PARCERIA

         

 

 

 

  

Livros TaoChi